poeta autodidata

Represento por esse manifesto,
uma forma de dizer a que vim.
Bom, caro leitor desse aglomerado
de versos e ritmos que tanto me faz feliz,
quero lhe expressar, sem receios,
o que sinto na harmonia poética
anexa a tudo e a todos
numa frenética sincronia de
ações, movimentos e reações.
Sei que, indevidamente,
relato nos meus escritos,
alguém que passa sem deixar traços
pra maioria sonolenta. Eles não percebem
o valor poético de cada um,
porém a vida ensina que extrair disso um verso,
traz um marca extensa pra vida toda.
Sei que a complexidade de uma inspiração,
vai além do que digo, porém, meio que
de soslaio intelectual faço desse achado
uma forma de me firmar como um
telespectador da vida e um aprendiz eterno.
Mestres existem com seus papeis
rabiscados de dedicação ou com ações poéticas sem tinta.
Esses mestres, embora desconhecidos,
fazem de mim um aspirante a tal ato.
Sei que nem chego aos pés de tais
ou mesmo de desatar as sandálias
de alguns.
Embora uns sejam mestres, não são dignos
de tamanha relevância e humilhação,
porém outros exigem um fator de extremo
agradecimento e uma eterna gratidão.
Logo me vejo refletir em seus pôsteres gigantes
meu retrato três por quatro.
Quem sabe eu, em um dia de uma estação qualquer,
seja um porta retrato de tamanho maior,
e de um simplicidade a tocar o mundo com verbos.
Quero caminhar. E se sofrer, serei como o infortunado cão,
sempre atento e sempre amante da vida,
e se me alegrar, vou me encontrar depois das 5:30
com o amor eternizado no verbo que criei.
Quero ter fé, fé na vida, na verdade,
no caminho, nas veredas, nos desertos,
em mim mesmo, em Deus.

sendo assim agradeço
seu tempo.

2 comentários:

Mel Almeida disse...

Você tem muito talento, e tenho certeza que pode e consegue chegar aonde quer!
Vai na fé, que como diz minha amiga Jana: ela não costuma falhar!

;***

eliel disse...

Velho amigooo, Fico Feliz Por
Vc kra....
Parabéns...