Poema vivido

II - Decreto amargo

Uma notícia chegou.
Num relapso acordei.
Estava lá um recado digital.
Peguei logo e li,
madrugada ainda.
Acordei me pus de joelho.
Falei com Deus, pedi ajuda.
Voltei a dormir,
nenhuma notícia nova,
preocupações buliam
minha mente.
Me peguei fraco a olhar
sua foto tão bonita,
seu olhar tão distante.
Agora um decreto baixou
sobre esse amor.
Um pedido invertido,
algo como: não ame mais,
esquece é rebento ainda.
Mas quem disse que amor
tem idade. Já era bem velho.
E já amara muito quando
ainda era novo.
E quem disse que amor
era fase, estava solitário.
O amor não tem tempo,
O amor não tem fase.
Paixão sim.Pode ter.
Mas amor, não.
Amor como um vínculo de perfeição,
um sentimento, um ato,
uma ação, algo descontrolado,
algo de vem de dentro,
uma espécie de anestesia
pra suportar a camuflagem barata
que o mundo chama de alegria.
O decreto vigorava
quando recebi novas noticias.
Me notificaram de tal lei.
Não tive reação. Como reagir?
Se nunca havia passado por isso.
Criei uma reação pra expressar tudo aquilo.
Senti medo.
Medo de ficar sem amor.
Mas logo calculei, pesei, equilibrei.
Amor nunca acaba já disse as escrituras.
Então, pra quê medo?
Troquei a reação.
Sentia esperança.
Pra que tudo desse certo.
Mas logo pensei claro que vai da certo.
Tudo crê, tudo suporta, repetiu
meu intelecto embasado no decreto puro.
Troquei a reação.
Tive tristeza.
Por saber que era difícil agüentar.
E logo me veio um consolo:
um trabalho bem feito.
Mas o amor proibido sempre
remexia minha mente.
Orei novamente, pedi novamente.
Agradeci dessa vez, sabendo que Ele iria resolver.
E vai. Troquei a reação.
Confiança, Convicção, Fé.
Esses não foram mais trocados,
permanecem sem esmorecer.
Desnecessário o decreto.
Onze meses de amadurecimento,
tudo bem encaminhado, uma raiz nascida
de uma semente pura, uma semente cuidada.
Todo o cuidado, pra saber que não posso
mais regrar o meu jardim.
Mas Deus mandará chuva.
E logo quando voltar a seca
estarei lá com o Habeas Corpus eterno
pronto pra regrar minha flor.

3 comentários:

Mel Almeida disse...

"Convicção, fé, confiança"... Estes são os sentimentos que nos ajudam a superar.
Tudo!
Que o amor seja hóspede permanente em sua casa...
Linda postagem!
;**

Magnólia Ramos disse...

O interessante de substituir as esmoções é que dá a impressão de que cada sentimento foi vivido separadamente...

O texto é interessantissimo!

Félix Adorei!

Caroline Galvão disse...

Nossa Tião amei essa postagem, muito linda mesmo e como disse a Magnólia: "dá a impressão de que cada sentimento foi vivido separadamente".

Muito bom!!!!
Bjs!